Diário mãe de primeira viagem: first days!

Diário mãe de primeira viagem

Slide2

Olá meninas!

Consegui um tempinho de novo e aqui estou eu com mais um Diário mãe de primeira viagem!

Hoje vou falar sobre os primeiros dias em casa, suas delícias, dificuldades e ansiedades.

Olívia nasceu no dia 11/08 e no dia 13/08 viemos pra casa. Até pensei em ficar mais um dia na maternidade para receber as visitas (muito melhor lá – para os pais e para o bebê – do que em casa) mas não foi possível. Eu tive uma recuperação excelente da cesárea e a Olívia já estava mamando bem, e segundo os médicos esses seriam os 2 únicos motivos que justificariam me manter lá por mais um dia (caso não estivesse tudo bem). Enfim, embora apreensiva e ansiosa também já estava louca pra voltar pra casa e iniciar a nova rotina com a minha princesa.

Chegando em casa:

Ela chegou em casa dormindo (aliás, os bebês recém nascidos dormem bastante, só reclamam quando algo incomoda – em geral, fome, fralda suja, vontade de receber um carinho..), mas assim que tivemos oportunidade fizemos um tour com ela apresentando seu novo lar, li isso em um dos meus vários baby books e achei fofo, o bebê precisa ser tratado com um ser humano, e mesmo tão pequeno é capaz de sentir isso, portanto, é bom sempre conversar com ele e explicar as coisas, tenho colocado isso em prática.

Em relação a parte prática, eu e o Pedro realmente não sabíamos nadinha, aprendemos o básico (troca de fralda) com as enfermeiras na maternidade, mas como o pediatra já tinha nos falado, você repete a mesma rotina tantas vezes por dia que logo fica craque.

IMG_5199Saindo da maternidade e indo pra casa toda feliz com meu lindo pacotinho.

Ajuda:

Como contei para vocês no post anterior, optei por não ter babá logo de cara, minha santa mãezinha ficou aqui comigo até esse último domingo (na sexta Olívia completa 1 mês), portanto, tive uma ajuda sem igual. Ela foi incansável e eu não podia ter ninguém melhor ao meu lado nesse momento! Além de todo amor e intimidade envolvida, ela é uma vó com “V” maiúsculo e uma mãe maravilhosa também, o que pra mim foi importante demais…foi fundamental tê-la ao meu lado para dividir os momentos difíceis, as angústias de uma mãe de primeira viagem, as lágrimas e claro, a delícia de cuidar do meu bebê!

IMG_6039Super vovó em ação.

Como me senti:

Esse primeiro mês não é nada fácil, eu já imaginava isso, de ouvir as pessoas falarem, mas na prática some a tudo isso uma carga emocional enorme, o peso da responsabilidade de cuidar de um ser tão frágil, a sua cobrança em ser uma excelente mãe e ainda todos os hormônios. Nada trivial!

Nas primeiras 2 semanas eu olhava pra ela e várias vezes as lágrimas rolavam, é uma emoção tão grande pensar que gerei esse anjinho, fruto do meu imenso amor pelo Pedro, uma coisa inexplicável, nunca achei que me sentiria assim. Nem sei se isso tem um pouco da influência do tal “baby blues” que faz as mães ficarem meio chorosas, mas não senti isso de uma forma pesada, foi até bem natural para mim.

Mas no meio dessa montanha russa de emoções, é inevitável que às vezes a gente fique abalada com uma mudança de rotina tão brusca. Nesse primeiro mês saí pouquíssimo de casa, até consegui jantar fora com o marido 2 vezes!!! Uhuuu! Um grande feito, que só foi possível graças a minha mãe, que estava aqui cuidando da minha Olívia! Também dei umas saidinhas rápidas entre mamadas durante o dia, para resolver coisas, levá-la as consultas do pediatra e ir ao meu obstetra. Mas é um intenso treinamento e definitivamente é um período difícil de adaptação, que requer paciência e muito amor!

Voltando a forma:

Pois é, meninas..engordei no total da minha gestação 13kg, o que não foi muito, mas nem tão pouco também. Na primeira semana já perdi uns quase 10kg e agora ainda faltam 3kg que estacionaram por aqui (acho que pelo tamanho dos meus seios pelo menos 1kg é “culpa” da amamentação! Rs). Estou me alimentando normalmente, sem restrições, sei que o que eu como nessa fase é muito importante para ela, por isso, resolvi não pensar em nenhum tipo de dieta enquanto estiver amamentando. Mas a boa notícia é que já consegui voltar a usar minhas roupas de antes da gestação! Que delícia, parece até que ganhei um novo guarda-roupa, hehe!

Na prática – Banho:

O pediatra da Olívia é contra o banho de imersão antes de cair o coto umbilical, por isso, nos primeiros 10 dias desenvolvemos nossa técnica de dar o banho da seguinte maneira: Colocamos uma rede própria para a banheira dela (aqui) e pegando com a mão a água da banheira jogávamos no corpinho dela sem encharcar o umbigo. Foi tenso esse início e devo dizer que só peguei a prática do banho mesmo na semana passada, quando vi no livro da Olívia Bernardes (Marinheira de Primeira) as imagens de como segurar o bebê na banheira, minha vida mudou, e embora a Olívia ainda não ame o banho (ela sente frio e chora) melhorou muito!!! Agora me sinto segura! Ah, o pediatra tinha me falado para tentar a posição de bruços, como se ela ficasse ajoelhadinha na banheira (imagens 4 e 5) e ela adora!

FullSizeRender

MarinheiraDePrimeira

Amamentação:

Falando em amamentação, li tanto sobre isso enquanto estava grávida e confesso que estava bastante apreensiva. Ouvi que era muito difícil, doloroso, etc, etc. Graças a Deus comigo tudo funcionou muito bem, Olívia estava mamando bem desde a maternidade e no momento certo meu leite desceu e eu estou amamentando no peito exclusivamente desde então. A minha maior dificuldade foi com a dor, nas primeiras duas semanas, meu bico ficou machucado e eu cheguei a amamentar com lágrimas rolando, de tanta dor. Mas a vontade de dar o melhor para o seu bebê é tão grande que a gente vai pro sacrifício. Até tentei usar 2 tipos diferentes de bico de silicone, funcionaram por um tempo, mas depois senti que estava piorando, acho dificultava a pega e doía ainda mais. Os médicos disseram para eu aguentar firme porque ia cicatrizar. Meus grandes aliados foram a pomada Lansinoh, que uso depois de toda mamada, e a concha. Hoje passei dessa fase dolorida e amamentar está uma delícia, a única coisa que às vezes é dura, é o cansaço e a rotina de 3 em 3 horas, às vezes menos, ter que estar disponível. Mas penso que vou fazer isso enquanto for bom tanto para mim, quanto para ela. Nesse quase 1 mês, recorri ao leite Nan apenas 2 vezes, estava muito cansada e ela inquieta, como se ainda tivesse fome depois de esvaziar meus dois seios, não quero que isso vire rotina mas não tenho nada contra usar eventualmente.

Bom, no mais, estamos nos adaptando e nos conhecendo, sinto que já evoluí muitooooo e tenho muito que aprender ainda também! Cada dia é um dia e são longos e intensos, mas sigo com muito amor, carinho e dedicação para que Olívia tenha o melhor de mim!!!

Agora chega né?! Esse post já está ficando imenso e vocês não terão paciência pra ler…rs. Prometo que farei vários outros compartilhando o nosso dia-a-dia!

Mamães leitoras, compartilhem aqui nos comentários as experiências de vocês, é sempre bom ter outros relatos e dividir histórias e dicas com quem está passando ou já viveu esse momento! 😉

Bjsss Tati e baby Olívia