Diário mãe de primeira viagem: 3 meses!

Diário mãe de primeira viagem

Slide3

Olá meninas!

Olívia completou 3 meses de vida n o dia 11/11!!! E tenho que repetir a frase “como o tempo voou”, é tão incrível pensar que estava na maternidade outro dia ansiosa pela sua chegada! Nesses quase 100 dias já aconteceu taaaaanta coisa, é tudo tão intenso e quando olho o relógio já são 5 da tarde e não fiz nadinha pra mim. Rs

Quando optei por virar mãe full time e não ter ajuda, já imaginava o quanto teria que me dedicar, cuidar de um bebê sem ajuda não é mole, isso porque a Olívia é super tranquila, mas mesmo assim, como esses mini seres ocupam nosso tempo e demandam! Estou muito feliz e realizada como mãe, mas nesses 3 meses eu “esqueci de mim”, nunca pensei que fosse ficar semanas sem fazer as unhas, dias e dias sem sair de casa, atualizar o guarda-roupa e passeios no shopping para aquelas comprinhas, nem pensar! Mas enfim, sei que é uma situação temporária e por um excelente motivo, sei também que quando acabar vou sentir saudades, estou curtindo a maternidade intensamente, o máximo que posso!

Eu nunca me imaginei uma mãe assim, mas pelas minhas características pessoais, já deveria prever que entraria de cabeça no meu momento mãe, sou muito “cuidadora”, e tenho o enorme defeito de achar que só eu farei direito, sabe? Sou daquelas que prefere assumir tudo (para fazer do meu jeito) do que delegar, isso é complicado e sei que preciso melhorar, tendo a ser assim em todos os setores da minha vida. Não julgo de forma alguma quem é diferente de mim, meninas!!! A maioria das minhas amigas tem ajuda e não acho absolutamente nada de errado com isso, acho que cada um tem que se adaptar da forma que melhor funciona pra si. Aliás, depois que virei mãe comecei a entender melhor as outras mães, e aprendi que jamais devemos julgar suas ações, cada bebê é diferente, casa casa tem seu ritmo e sua rotina, cada casal tem seu jeito…o importante é fazer o que te deixa feliz e o que é melhor para o seu bebê, não adianta se forçar a uma vida de mãe 24/7 se isso não te traz felicidade, o que obviamente não significa amar menos, só podemos dar amor e passar tempo de qualidade com nossos filhos se estivermos bem com a gente mesmo! Portanto, peça ajuda sim – profissional ou de familiares – e seja FELIZ!!!

Mas, desabafo a parte, vamos falar da rotina com uma baby de 3 meses! Olívia graças a Deus está ótima, saudável, linda, alegre, esperta…fico tão orgulhosa da minha pequena. Cada dia é uma novidade, ela foi se aproximando dos 3 meses e os risinhos, barulhinhos e “conversas” deliciosas foram surgindo. Fiquei bem impressionada como tudo evolui rapidamente, eles aprendem muito em tão pouco tempo!

Pelo que já li, é fundamental que os bebês tenham rotina, eles se sentem mais seguros assim. Devem ter hora de comer, brincar e dormir, de preferência nessa ordem (mas como já disse, cada um é de um jeito, o importante é conhecer e respeitar o seu bebê).

Como mãe de primeira viagem, totalmente inexperiente com crianças, me vi com uma grande preocupação em como deveria estimular meu bebê, para isso converso com meu pediatra e leio bastante – livros, blogs, matérias em revistas especializadas, enfim, saio buscando informação para tentar desempenhar meu papel da melhor maneira, mas as dúvidas e inseguranças acabam aparecendo, e como uma boa drama queen que sou, tenho meus dias de “será que estou sendo uma boa mãe e fazendo o que é melhor pra ela”? kkkk

Bom, para as mamães que também se preocupam com essa parte de estímulo e entretenimento, vou falar aqui sobre algumas coisinhas que tenho praticado com a Olívia e que acho legal compartilhar com vocês.

– Exercícios diários com o bebê de bruços (3 minutos ou mais, 3 ou mais vezes ao dia), importante para o fortalecimento do pescoço e para o bebê já ir se acostumando com a posição para engatinhar, comecei a fazer isso com 2 meses e estou aumentando o tempo gradativamente. Olívia não gostava muito dessa posição, hoje já gosta um pouco, mas o pediatra já me falou que é importante insistir, o truque é colocar brinquedos na sua frente e chamar sua atenção, assim ela se distrai e reclama menos. Tem também essas almofadinhas de atividades que são muito boas.

Slide1

Tenho essa meia lua a Olívia adora, minha afilhada tem o rolinho e também ama!

– Outra coisa interessante é deixar a criança em uma cadeirinha (com uma reclinação leve) durante algumas horas por dia para enxergar as coisas de outro ângulo e também ir fortalecendo o pescocinho. Comprei uma cadeirinha dessas que tremem, nem uso essa função, só coloco ela “sentadinha” mesmo e penduro alguns brinquedinhos para distraí-la.

Slide2

– Também a estimulo ao longo do dia com brinquedos e sons que chamem sua atenção. Ela começa a acompanhar com os olhos e também fica atenta aos sons, muito legal ver esse desenvolvimento.

Na verdade, eu faço um verdadeiro circuito com ela durante o dia! Rs

Foi a forma que encontrei de diversificar ao máximo as atividades e distraí-la, porque conforme crescem também ficam mais tempo acordadas e exigem mais interação, né?! No meu escritório (home office) deixo o tapetinho de atividades dela e pela manhã, em geral, ela fica ali do meu lado brincando enquanto consigo fazer uma coisa outra no computador, e assim a gente vai se virando.

Slide3

Slide4Minha princesa having fun!

Meninas, acho que já escrevi demais por hoje, mas é que tinha tempo que não atualizava vocês! Deixem aqui nos comentários perguntas, dúvidas, dicas e sugestões, tá?! Como sempre, será um prazer trocar ideias com vocês! 😉

Bjsss Tati e baby Olívia.

Diário mãe de primeira viagem: first days!

Diário mãe de primeira viagem

Slide2

Olá meninas!

Consegui um tempinho de novo e aqui estou eu com mais um Diário mãe de primeira viagem!

Hoje vou falar sobre os primeiros dias em casa, suas delícias, dificuldades e ansiedades.

Olívia nasceu no dia 11/08 e no dia 13/08 viemos pra casa. Até pensei em ficar mais um dia na maternidade para receber as visitas (muito melhor lá – para os pais e para o bebê – do que em casa) mas não foi possível. Eu tive uma recuperação excelente da cesárea e a Olívia já estava mamando bem, e segundo os médicos esses seriam os 2 únicos motivos que justificariam me manter lá por mais um dia (caso não estivesse tudo bem). Enfim, embora apreensiva e ansiosa também já estava louca pra voltar pra casa e iniciar a nova rotina com a minha princesa.

Chegando em casa:

Ela chegou em casa dormindo (aliás, os bebês recém nascidos dormem bastante, só reclamam quando algo incomoda – em geral, fome, fralda suja, vontade de receber um carinho..), mas assim que tivemos oportunidade fizemos um tour com ela apresentando seu novo lar, li isso em um dos meus vários baby books e achei fofo, o bebê precisa ser tratado com um ser humano, e mesmo tão pequeno é capaz de sentir isso, portanto, é bom sempre conversar com ele e explicar as coisas, tenho colocado isso em prática.

Em relação a parte prática, eu e o Pedro realmente não sabíamos nadinha, aprendemos o básico (troca de fralda) com as enfermeiras na maternidade, mas como o pediatra já tinha nos falado, você repete a mesma rotina tantas vezes por dia que logo fica craque.

IMG_5199Saindo da maternidade e indo pra casa toda feliz com meu lindo pacotinho.

Ajuda:

Como contei para vocês no post anterior, optei por não ter babá logo de cara, minha santa mãezinha ficou aqui comigo até esse último domingo (na sexta Olívia completa 1 mês), portanto, tive uma ajuda sem igual. Ela foi incansável e eu não podia ter ninguém melhor ao meu lado nesse momento! Além de todo amor e intimidade envolvida, ela é uma vó com “V” maiúsculo e uma mãe maravilhosa também, o que pra mim foi importante demais…foi fundamental tê-la ao meu lado para dividir os momentos difíceis, as angústias de uma mãe de primeira viagem, as lágrimas e claro, a delícia de cuidar do meu bebê!

IMG_6039Super vovó em ação.

Como me senti:

Esse primeiro mês não é nada fácil, eu já imaginava isso, de ouvir as pessoas falarem, mas na prática some a tudo isso uma carga emocional enorme, o peso da responsabilidade de cuidar de um ser tão frágil, a sua cobrança em ser uma excelente mãe e ainda todos os hormônios. Nada trivial!

Nas primeiras 2 semanas eu olhava pra ela e várias vezes as lágrimas rolavam, é uma emoção tão grande pensar que gerei esse anjinho, fruto do meu imenso amor pelo Pedro, uma coisa inexplicável, nunca achei que me sentiria assim. Nem sei se isso tem um pouco da influência do tal “baby blues” que faz as mães ficarem meio chorosas, mas não senti isso de uma forma pesada, foi até bem natural para mim.

Mas no meio dessa montanha russa de emoções, é inevitável que às vezes a gente fique abalada com uma mudança de rotina tão brusca. Nesse primeiro mês saí pouquíssimo de casa, até consegui jantar fora com o marido 2 vezes!!! Uhuuu! Um grande feito, que só foi possível graças a minha mãe, que estava aqui cuidando da minha Olívia! Também dei umas saidinhas rápidas entre mamadas durante o dia, para resolver coisas, levá-la as consultas do pediatra e ir ao meu obstetra. Mas é um intenso treinamento e definitivamente é um período difícil de adaptação, que requer paciência e muito amor!

Voltando a forma:

Pois é, meninas..engordei no total da minha gestação 13kg, o que não foi muito, mas nem tão pouco também. Na primeira semana já perdi uns quase 10kg e agora ainda faltam 3kg que estacionaram por aqui (acho que pelo tamanho dos meus seios pelo menos 1kg é “culpa” da amamentação! Rs). Estou me alimentando normalmente, sem restrições, sei que o que eu como nessa fase é muito importante para ela, por isso, resolvi não pensar em nenhum tipo de dieta enquanto estiver amamentando. Mas a boa notícia é que já consegui voltar a usar minhas roupas de antes da gestação! Que delícia, parece até que ganhei um novo guarda-roupa, hehe!

Na prática – Banho:

O pediatra da Olívia é contra o banho de imersão antes de cair o coto umbilical, por isso, nos primeiros 10 dias desenvolvemos nossa técnica de dar o banho da seguinte maneira: Colocamos uma rede própria para a banheira dela (aqui) e pegando com a mão a água da banheira jogávamos no corpinho dela sem encharcar o umbigo. Foi tenso esse início e devo dizer que só peguei a prática do banho mesmo na semana passada, quando vi no livro da Olívia Bernardes (Marinheira de Primeira) as imagens de como segurar o bebê na banheira, minha vida mudou, e embora a Olívia ainda não ame o banho (ela sente frio e chora) melhorou muito!!! Agora me sinto segura! Ah, o pediatra tinha me falado para tentar a posição de bruços, como se ela ficasse ajoelhadinha na banheira (imagens 4 e 5) e ela adora!

FullSizeRender

MarinheiraDePrimeira

Amamentação:

Falando em amamentação, li tanto sobre isso enquanto estava grávida e confesso que estava bastante apreensiva. Ouvi que era muito difícil, doloroso, etc, etc. Graças a Deus comigo tudo funcionou muito bem, Olívia estava mamando bem desde a maternidade e no momento certo meu leite desceu e eu estou amamentando no peito exclusivamente desde então. A minha maior dificuldade foi com a dor, nas primeiras duas semanas, meu bico ficou machucado e eu cheguei a amamentar com lágrimas rolando, de tanta dor. Mas a vontade de dar o melhor para o seu bebê é tão grande que a gente vai pro sacrifício. Até tentei usar 2 tipos diferentes de bico de silicone, funcionaram por um tempo, mas depois senti que estava piorando, acho dificultava a pega e doía ainda mais. Os médicos disseram para eu aguentar firme porque ia cicatrizar. Meus grandes aliados foram a pomada Lansinoh, que uso depois de toda mamada, e a concha. Hoje passei dessa fase dolorida e amamentar está uma delícia, a única coisa que às vezes é dura, é o cansaço e a rotina de 3 em 3 horas, às vezes menos, ter que estar disponível. Mas penso que vou fazer isso enquanto for bom tanto para mim, quanto para ela. Nesse quase 1 mês, recorri ao leite Nan apenas 2 vezes, estava muito cansada e ela inquieta, como se ainda tivesse fome depois de esvaziar meus dois seios, não quero que isso vire rotina mas não tenho nada contra usar eventualmente.

Bom, no mais, estamos nos adaptando e nos conhecendo, sinto que já evoluí muitooooo e tenho muito que aprender ainda também! Cada dia é um dia e são longos e intensos, mas sigo com muito amor, carinho e dedicação para que Olívia tenha o melhor de mim!!!

Agora chega né?! Esse post já está ficando imenso e vocês não terão paciência pra ler…rs. Prometo que farei vários outros compartilhando o nosso dia-a-dia!

Mamães leitoras, compartilhem aqui nos comentários as experiências de vocês, é sempre bom ter outros relatos e dividir histórias e dicas com quem está passando ou já viveu esse momento! 😉

Bjsss Tati e baby Olívia

 

 

Diário mãe de primeira viagem: Olívia chegou!!!!

Diário mãe de primeira viagem

Slide2

Olá meninas!

Pelo meu sumiço aqui do blog e pelos posts nas redes sociais (Instagram @blogloveshoes) imagino que vocês já saibam que a minha baby Olívia chegou!!!

A minha princesa nasceu no dia 11/08, 12:10h com 49,5 cm e pesando 3.290 kg. Graças a Deus estamos ótimas e curtindo demais cada minutinho dessa nova e maravilhosa vida!

Como sei que vocês querem saber sobre o parto e outros detalhes, vou contar tudinho por aqui, tá?!

Bom, no dia 11 despertei por volta das 7:30 da manhã, sentindo um líquido “vazando” e quando fui ao banheiro vi que a bolsa provavelmente havia rompido. Meu médico já havia me explicado que se a bolsa estourasse na parte de baixo saíria muita água, mas se rompesse em algum outro lugar, esse líquido poderia sair aos poucos, e foi o que aconteceu comigo. Acordei meu marido e liguei para o meu obstetra que me pediu que o encontrasse na maternidade dentro de 1 hora. Fui tomar um banho correndo, arrumar o que faltava nas malas e partimos eu e Pedro para Casa de Saúde São José.

Eu tinha praticamente certeza que seria naquele dia, mas como o Dr. Luiz Fernando disse que me examinaria, não sabíamos ao certo, levamos tudo mas deixamos no carro, até que depois de me examinar, ele confirmou que eu faria uma cesárea cerca de 1hora depois! Nossa, nessa hora a ficha caiu!

Quanto ao parto, eu havia deixado a decisão de como seria nas mãos de Deus, se fosse para ser normal, apensar do meu medo, eu ia encarar, mas meu colo estava muito fechado, eu não tinha dilatação e a cabeça do bebê estava muito alta, por isso ele disse que não seria recomendada a indução, teríamos que partir mesmo para a cirurgia. Escolhi um médico no qual tenho total confiança e por isso nem questionei quando essa foi a recomendação dele.

Bom, nesse momento já estava bem nervosa e chorava bastante…rs…fiquei chateada porque minha mãe, que não mora no Rio, estava na estrada e não chegaria a tempo de estar comigo antes do parto, queria tanto essa segurança e sabia que não poderia ter. O melhor foi que assim que saí da sala de parto na maca, a primeira pessoa que vi foi a minha mãe, já me esperando ali do lado de fora, fiquei muito emocionada e feliz!

Bom, quanto ao parto, foi muito melhor do que eu poderia esperar, nunca havia tomado nenhum tipo de anestesia e nem feito nenhuma cirurgia, por isso minha apreensão era grande, mas correu tudo maravilhosamente bem. Achei a anestesia super tranquila, não tive nenhum tipo de reação e no dia seguinte levantei da cama com bastante facilidade, todos ficaram impressionados com a minha rápida recuperação, ficava em pé recebendo as visitas e andando de um lado para o outro do quarto….rs

Tenho que ressaltar que a equipe toda que participou do meu parto foi maravilhosa!!! Todos muito competentes e com a preocupação de me acalmar o tempo todo, isso fez toda a diferença, fora claro a presença do Pedro ao meu lado, que me deu força e uma segurança incrível para passar por esse momento!

Não preciso nem dizer que esse foi o momento de maior emoção da minha vida, quando a minha pequena saiu da minha barriga e abriu o berreiro não dá nem pra descrever o sentimento!!!! Achei ela tão linda e assim que percebi que tudo estava bem fui invadida por uma paz e uma tranquilidade incríveis!!!

Já são 13 dias e agradeço todos os dias a Deus por esse presente que recebi, tão linda e saudável em casa com a gente!

Slide2

Vou fazer um outro post em breve contando sobre os primeiro dias em casa, tá?!

Me perdoem a demora, mas vocês devem imaginar que esses primeiros dias são muito corridos e intensos, por isso é difícil conseguir um tempinho para escrever. Mas eu estava louca para compartilhar tudo com vocês!!! 😉

Bjsss Tati e baby Olívia!